Os verdadeiros racistas brasileiros

Nenhum meio de comunicação aberta, nem mesmo governamental veiculou qualquer coisa sobre o dia da Bandeira, símbolo sagrado do país, mas todas as emissoras passaram o dia mostrando propaganda de negros exaltando o tal “dia da consciência negra”, contra o qual se levantou a jornalista Glória Maria, uma negra que é referência na luta por igualdade e respeito, mas sendo achincalhada por diversos negros que, ou por ignorância, por inveja ou por incompetência, criticaram duramente a verdade absoluta que ela publicou em uma rede social (leia aqui)

Os negros brasileiros reclamam que são discriminados, que não tem as mesmas condições e oportunidades que os brancos, mas a bem da verdade a culpa é deles mesmos.

Antes que me atirem pedras e queiram me denunciar por racismo, explico minha tese com fatos incontestáveis:

  1. para começo de conversa, exigem serem chamados de afro-descendentes. Eles tem vergonha de serem chamados de negros. E os poloneses, alemães, eslavos e outros povos que são chamados de polacos e não brigam? E os libaneses, que são árabes, mas comumente chamados de turcos? Ser chamado de negro é vergonhoso? Por um acaso eles não tem orgulho de suas origens? Se os negros sentem envergonha de serem chamados ou designados pela cor da pele ou pela origem, então para quê dia da consciência negra, que fecha comércio e causa prejuízo? Lamentável;
  2. dia da consciência negra. Exigiram a criação de um dia, um feriado, para exercitarem a consciência de que são negros? Por um acaso negro não é humano? Não pertence ao gênero Homo, espécie sapiens? Será que os negros são alienígenas e não pertencem à mesma espécie que os eslavos (suecos, finlandeses, dinamarqueses e noruegueses), os nipônicos (japoneses e cercanias), os hindus, os semitas (árabes, judeus, curdos & vizinhanças), os germânicos (alemães, austríacos, húngaros, suíços e adjacências), Bretões e Anglo-saxões (não precisa dizer quem são, não é?), os esquimós (Alaska), os peles vermelhas (índios norte-americanos), os latrinos (nós)…
  3. os negros brasileiros exigem leis que os protejam e os privilegiem em disputas com os brancos;
  4. os negros vibram com as cotas raciais que não passam de um atestado claro e cristalino de INCOMPETÊNCIA, de INFERIORIDADE , não passando de mera INSTITUCIONALIZAÇÃO DO RACISMO. A lei de cotas torna o racismo legal e oficial, Transforma o racismo em LEI. Apenas idiotas com QI de ameba comatosa não enxergam a grande arapuca que foi a lei das cotas raciais;
  5. a escravidão foi abolida há quase 130 anos e os negros brasileiros ainda não aprenderam a viver em liberdade? Continuam a chorar e se vitimizar como se ainda estivessem acorrentados nas senzalas?
  6. Acusam de racismo quem não lhes dá nada de mão beijada ou os criticam, exigindo deles comprovação de merecerem o que estão pleiteando…

 

Meritocracia nem pensar 

Qualquer pessoa tem que mostrar seus méritos, talentos ou merecimentos para ser reconhecido. Tem que estudar e passar em vestibular como qualquer estudante de qualquer etnia. Tem que se esforçar no trabalho e ser promovido pelo valor… Os negros brasileiros querem tudo de mão beijada: cotas raciais para vestibular e concurso público, estudar e concorrer em igualdade de condições com todos os demais candidatos, nem pensar! Dá muito trabalho, cansa muito!

 

Os verdadeiros racistas são os negros

Os negros exigem tratamento diferenciado em relação ao branco porque foram escravizados na África e contrabandeados para o Brasil, tendo que trabalhar em lavouras, sem liberdade, mas e os judeus na Alemanha Nazista?

Enquanto a escravidão no Brasil durou exatos 350 anos (1539 – 1889) e para estas terras amaldiçoadas foram trazidos cerca de três milhões de escravos durante os três séculos e meio que durou a escravidão, os nazistas roubaram e exterminaram seis milhões de judeus em apenas seis anos (1939 – 1945).

Os judeus também foram escravizados ao longo do tempo e não vivem por aí posando de coitadinhos, culpando os iranianos (escravidão na Pérsia até que o Rei Ciro os libertou e permitiu que voltassem à Jerusalém e reconstruíssem o Tempo), os iraquianos (cativeiros da Assíria e Babilônia) e outros povos que os escravizaram pelos seus fracassos, derrotas e sofrimentos, exigindo reparação e privilégios;

O escravos não foram trazidos aqui forçosamente para serem roubados e mortos, mas vieram como mercadoria, para trabalharem e produzirem e a maioria recebia alguma espécie de salários, enquanto os judeus foram presos, torturados e massacrados.

 
Judeus alemães nem pensam em cotas raciais… Repudiam!

Nenhum judeu fica chorando mágoas ou “pitangas” na Alemanha atual, exigindo vantagens e proteção contra os germânicos por causa do holocausto. Judeus tem dignidade e amor próprio e não suportam viver de esmolas ou favores, enquanto os negros brasileiros… Reclamam muito, mas mostram poucos méritos.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=_dpPu09qwC8?rel=0&w=560&h=315]