Programa político do PCdoB – um lixo. Até no puxa-saquismo os comunistoides são incompetentes

Acabei de assistir ao programa político dito gratuito (é o contribuinte quem paga a conta do tempo na TV) e posso dizer sem um mínimo de chance de errar que foi uma verdadeira aula de cinismo, burrice e um festival de mentiras.

Em seu programa, este partideco fajuta, atrasado e parasita do PT e do contribuinte brasileiro se limitou a defender as desgraças que foram os desgovernos Lula e Dilma recontando mentiras inventadas por Lula e seus comparsas e acusando a oposição de inventar a crise que estes dois incompetentes e corruptos desgovernantes (Dilma e Lula) criaram com suas ganâncias e desejo de perpetuação no poder.

A mentira é tão absurda que, se a oposição quisesse, de fato, derrubar a incompetenta presidenta, já teriam entrado com o pedido de impeachment na Câmara Federal (Puteiro público nacional) e com uma queixa-crime por improbidade administrativa no Supremo Tribunal Federal (subdiretório do PT).

Agora é tarde e não adianta mais espernear porque este “colóquio flácido para acalentar bovinos” (conversinha mole para boi dormir, em bom juridiquês) não engana mais ninguém. O contribuinte está farto de ser ROUBADO para sustentar os vagabundos do bolsa-esmola e os corruptos que sustentam o desgoverno. O PT, Lula e Dilma já acabaram. Não adianta espernear.

Jean Wyllys apresenta projeto que legaliza aborto

Apesar de todas as considerações éticas, morais e convicções religiosas, somente a mulher é quem tem o direito de escolher se quer ter um filho ou não. Não adianta espernear, gritar, criminalizar… É um direito inalienável de cada mulher. A partir do momento que as religições pregam que Deus nos deu livre arbítrio, o direto de escolha se torna amplo, geral e irrestrito, não cabendo a ninguém, sob pretexto algum interferir nas escolhas de qualquer pessoa, do ponto de vista religioso. Leia aqui

Época suspeita – suspeição do ministro Dias Tófoli

Prezados

Retransmito o artigo em anexo – ÉPOCA SUSPEITA – autoria de Carlos Nejar, da Academia Brasileira de Letras e da Academia Brasileira de Filosofia, publicado na Tribuna de Vitória, ES que em mensagem acrescenta e considera como manifestação corajosa a atitude do nosso colega Pedro Ivo Moézia na petição feita ao CNJ.
Saudações

Ernesto Caruso


ÉPOCA SUSPEITA   –  – CARLOS NEJAR@

Sempre aprendi na experiência da justiça, que o juiz que está preso à amizade, ou é ligado a determinada agremiação, tendo sido advogado, devia para bem de sua consciência e a da coletividade, dar-se por suspeito. É o caso do Ministro Toffolli. Não é bondade, é obrigação de  Magistrado. Nenhum colega percebeu sua suspeição, para julgar o caso da Lava-Jatos. O que talvez me faça cego, surdo e mudo. Ou o instrumento  de suspeição foi suprimido do código e eu não sei. Se na anterior instância, cabe recurso. Na superior, o julgador resolve por sua conta e é fato consumado. Até a astúcia do governo é fato consumado. E a Petrobras ainda não abriu todas as suas entranhas. Há algo podre no reino da Dinamarca.

O Ministro Toffolli, petista reconhecido,  ex-advogado do PT, defensor de Dirceu, no Mensalão incrivelmente não se deu por suspeito. Depois foi colocado a dedo, como Presidente do Supremo Tribunal Eleitoral, para o decisório das eleições e ninguém pareceu se dar conta, nem seus confrades, quando é evidente  a sua suspeição. Porque ninguém se arreda de seu passado. Nem o passado se arreda do presente. E o que repete e se repete não é acaso, é objetivo e este governo não é confiável. E nada do que diz, cumpre. Quer apenas permanecer no poder.

Tal Ministro não contente em dirigir as eleições, e era a pessoa menos indicada, com sua vinculação com o partido vencedor, lulista convicto, após entrevista com Dilma, que evita o contacto humano, a não ser para seu interesse ,entrevista estranha, apresenta-se  como o novo juiz dos casos da Lava-Jatos. Será que não repara a reação geral? Será que o Supremo não está se dando conta disso, ou tudo é permitido? Até quando abusará de nossa paciência? Quem julgará os julgadores? Só a imprensa percebeu essa sinuosa manobra. E não é mais aceitável num país dito democrático e num tempo de suspeita, estando Dilma  entre os nomes  do desastre. Lutei contra a ditadura militar e não aceito a ditadura do PT, nem sua manipulação (vejam os condenados do Mensalão ou estão em casa, ou estão liberados) e não admite a alternância do poder. Pelas manifestações o povo não suporta mais Dilma e se impõe o remédio legal, que é o impeachment. E todos entendem, desde as pessoas nas ruas, que  o  que acontece  no país não é democracia,  é    o abuso de alguns sobre todos. Mas a vergonha, o roubo, a vilania, a manipulação, a inflação, o encargo sobre os direitos trabalhistas não podem permanecer.

Falei de um Ministro que já serviu antes o governo e agora se oferece para julgar a Lava-jato. Ninguém pode levantar nada sobre a dignidade pessoal dele, nem cabe, mas a suspeita vem das circunstâncias que o cercam, das ligações com o PT conhecidas por todos, da insistência  de julgar  processos  que deviam, no mínimo afastá-lo do julgamento, por que ninguém , também ele, não está acima de qualquer suspeita,  com tendência, como vimos  no  Mensalão: absolutória. E onde também, absurdamente, não se deu por suspeito. E não será dará nunca por  suspeito, por mais suspeito que seja? Ou estamos brincando de justiça, como brincamos de eleição, quando falta a imparcialidade que é apanágio do julgador, mesmo que ele o diga que a tem, mas como afirmava Ortega y Gasset – “o homem existe com suas circunstâncias”. E o País não pode estar cego diante de tais manobras. O julgador está sujeito ao temperamento, ao mundo que o cerca, aos amores e desamores, tosses, intempéries, mal-humor… coisas humanas. E o tal Ministro ofereceu-se por vontade a tal desígnio.  Diz o Padre Vieira: ”Quem julga com o entendimento, pode julgar bem e pode julgar mal: quem julga com a vontade nunca pode julgar bem”. E nem creio que o faça. Por suspeito,  ainda que faça de conta que não seja, o Brasil sabe todo que o é.

———————————————————————-
@Carlos Nejar é da Academia Brasileira de Letras e da Academia Brasileira de Filosofia.

Dilma coloca Levy para substituir Mercadante na negociação política

Como denunciamos à época, o título de doutor que a UNICAMP deu ao Mercadante (mercador de ilusões) não foi por mérito ou por contribuição relevante às ciências econômicas, mas sim por imposição do desgoverno PTralha. Dilma demonstra, de forma cara e inequívoca que só tem incompetente em seu ministério. Leia aqui

Negação de adoção do golpismo pela oposição é falsidade

Golpismo, meu caro Janio de Freitas, é tolerar a corrupção, a roubalheira, a incompetência, a impunidade, em nome da utopia do trabalhismo no poder. Esse sim é o grande golpe. Os trabalhistas do PT não passam de um bando de vigaristas que desejam enriquecer às custas dos trabalhadores e dos contribuintes. Se o Brasil fosse um país sério, Lula, Dilma, Zé Dirceu e demais PTistas, além de todos os políticos corruptos brasileiros, já estariam apodrecendo atrás das grades há muito tempo. Você, Janio de Freitas, é patriota ou é cúmplice dos petralhas e parasita dos contribuíntes? Leia mais