Áustria deixará de ser membro do CERN

Parece que os austríacos tiveram um ataque de juízo e saltaram do barco do CERN, pois ninguém sabe como o universo se originou e um grupo de malucos está gastando bilhões na investigação de uma teoria. Por que não aplicam o dinheiro em obras e projetos de retorno prático e imediato para a humanidade? Por que não investem este dinheiro na melhoria das condições de vida de povos miseráveis da África, na descoberta de novos fármacos, novos tratamentos contra diversas doenças, novas fontes de energia limpa e renovável e ainda, e mais importante, na produção de alimentos? Por que gastar dinheiro em algo que ninguém sabe se existiu ou não? Tem louco para tudo…

Cientista trabalha no centro de controle do CERN, em Genebra: colisor de partículas começará a dar resultados somente em 2010.

A Organização Europeia para Investigação Nuclear (da sigla em francês CERN) construiu a maior máquina de todos os tempos – um colisor de partículas localizado na fronteira entre França e Suíça que vai recriar as condições do “Big Bang”, a origem do universo.

Até agora, o projeto custou 10 bilhões de francos suíços (9 bilhões de dólares), e precisou ser interrompido em setembro do ano passado, apenas nove dias depois de ter começado a funcionar, devido à uma falha técnica.

A Áustria é um dos 20 países membros do CERN desde 1959, mas pretende deixá-lo em breve, porque cerca de 70% do seu orçamento para pesquisas internacionais são gastos neste único projeto, informou o ministro da Ciência austríaco, Johannes Hahn.

“Existem diversas outras pesquisas que nos apresentam interessantes perspectivas científicas”, ele explicou em comunicado.

Os austríacos contribuem com 2,2% do orçamento do CERN. A nação será a primeira a sair da organização desde 1969, quando a Espanha desistiu de participar do grupo.  Em 1983, os espanhóis retornaram ao CERN.

“O CERN gostaria que a Áustria continuasse como um de seus membros e acredita que a permanência pode beneficiá-la”, declarou a organização, também em comunicado.

O colisor vai voltar a funcionar em setembro deste ano e começará a exibir resultados em 2010.

[Voltar]