> Este país dá nojo

Após os eleitores abestados deste país amaldiçoado cometerem a insanidade de elegerem o psicopata corrupto, cachaceiro, analfabeto, abusador de viuvinhas, etc, etc, etc, Lula para a presidência desta republiqueta bananeira, qualquer jumento gastrocéfalo (que tem fezes na cabeça) começou a se achar estadista, gênio e cientista, e os facínoras travestidos de ministros do supremo tribunal federal (em minúsculo propositadamente) não fugiram desta regra.

Depois que a estocadora de vento, assassina, sequestradora, assaltante de bancos e quartéis, terrorista e ex-presidANTA Dilmanta Mandiocasseff criou o gênero Muié, espécie sapiens, a suprema pocilga jurídica não quis ficar para trás e, para fazer inveja à concorrência, criou o gênero Homossexualis, espécie tupiniquinensis, a raça que provavelmente agrupará os LGBTs.

O nível de ignorância é tão gritante que sequer sabem o significado do termo latino Homo que compõe no nome da espécie humana, Homo sapiens. o Homo significa humano e não HOMEM ou mesmo IGUAL. Homo aqui, vem do latim e não do grego e, portanto, homossexual não significa sexo igual e muito menos fobia significa repulsa ou preconceito, mas sim MEDO. O termo fobos vem do grego e traduzindo-se literalmente o termo homofobia tem-se como significado MEDO DE HUMANOS. Será que os equinos gastrocéfalos togados ao menos estudaram um pouco de etimologia, a origem das palavras?

Equiparar “homofobia” a crime de racismo é coisa de débil mental que não tem o que fazer e deve ser trancafiado em manicômio judiciário.

Como um LGBT conseguirá provar que é de uma raça diferente do restante dos Homo sapiens? Fazendo cirurgia de mudança de sexo? Nem isso adianta. Um homem que faz plásticas para virar mulher será sempre homem. Para ele virar mulher, terá que implantar um braço em cada cromossomo sexual masculino “Y” de cada uma de suas células, para transformá-lo em um “X” feminino, enquanto as mulheres que “viram” homens não passam em um simples exame de sangue, um inocente hemograma. Em cada célula do corpo feminino tem, no núcleo, um “prolongamento” chamado de cromatina sexual ou corpúsculo de Barr (veja nas duas setas da imagem abaixo). Elas poderão se injetar milhares de injeções de hormônios masculinos (testosterona), mas continuarão sendo MULHERES. Não adiantará ostentarem barba (produzida pelos hormônios), fazerem ablação as mamas (mastectomia bilateral radical)… O máximo que conseguirão será aumentar as chances de terem problemas cardíacos e hematopoiéticos como infartos do miocárdio, tromboembolismos…

cromatina

Desde a invenção dos sequenciadores eletrônicos de DNA (o Ilumna, por exemplo, que sequencia o genoma humano em 40 minutos), laboratórios do mundo inteiro já fizeram milhões de sequenciamentos e até agora não encontraram o gene gay que muito pseudo cientista jura de “pezinhos juntos” que existe e faz um homem ou uma mulher ser homossexual.

Outro efeito desta classificação estúpida é o direito que os mais incompetentes dos LGBTs se alienarão em exigir cotas em vestibular, em concursos públicos, pois já que serão equiparados a uma raça, poderão exigir o que bem entenderem.

Há um perigo maior ainda: se reconhecem os LGBTs com raça, outras perversões como pedomania (termo correto, pois pedofilia significa amigo da criança e quem abusa é o maníaco, o verdadeiro criminoso), zoofilia, necrofilia, e tantas outras, também poderão exigir o mesmo tratamento pois se a única justificativa para este “reconhecimento” é o direito de opção sexual, ela também dá os mesmos direitos aos abusadores de crianças e demais perversos.

Pense nisso, povo brasileiro, antes que “este país” (parafraseando o psicopata Lula) se torne um prostíbulo pior que Roma antiga em seu auge, ao tempo dos Imperadores Tibério, Caligvla (é com “v” mesmo) e Nero, épocas em que pais estupravam filhas e filhos, mães estupravam filhos e muito mais coisas nojentas que vocês podem imaginar.