Delegada esclarece caso Carrefour com João Alberto Siveira Freitas

Não houve racismo. Os seguranças agiram em legítima defesa.

A esquerda lambe o rabo de criminosos, essa é a verdade.

Não vivem berrando lula livre o outras asneiras mais, fazendo “L” com as mãos? Deviam enfiar o dedo indicador do “L” naquele orifício corrugado ínfero-posterior vulgarmente chamado de C*!

Prender os psicopatas que quebraram o supermercado em um manicômio judiciário, após arrancar tudo o que tiverem de bens para cobrir o prejuízo da empresa.

Débeis mentais tem que apodrecer e morrer isolados da sociedade.